WCG 2006 – CABOU FAZ TEMPO

greg_coreano_shaking.jpg

Gregório Xavier Marinheiro, 22, o DeathGun, prata em Warhammer 40.000 Winter Assault – Dawn of War. À direita, uns 85% do coreano Kyung Hyun Ryoo, que ficou com o primeiro lugar – clique na foto pra ver o panorama total.

O cara é de João Pessoa, Paraíba, e já foi pra WCG Cingapura em 2005. Na final brasileira WCG desse ano, DeathGun ficou em segundo, motivo pelo qual não conseguiu vaga para o Pan Americano no México, que acabou de rolar nesse fim de semana.

Um pouco de conversa, então. O resto tá na EGM Brasil 58, quando você e seu jornaleiro menos esperarem.

++++++++++

FREEKO: Em termos de competitividade, o que mudou em Warhammer na WCG, de 2005 pra 2006?

DeathGun: O jogo ficou mais balanceado, dando chance de vitória para vários jogadores. Ano passado era dada como certa a vitória do coreano (Kyung Hyun Ryoo), e assim aconteceu. Este ano, cerca de 10 jogadores podiam ser apontados como possíveis vencedores. Mas o coreano realmente fez por merecer a vitória.

 

FREEKO: O cyber esporte, para alguns jogadores, já pode ser considerado meio de vida. pra outros, é um universo que começa a ser conhecido agora. O que significa pra você?

DG: Pra mim, cyber esporte ainda é um sonho. Isso ainda não existe no Brasil, e ainda vai demorar um tempo para existir. Todo mundo que eu conheço no Brasil, que gastou tempo jogando competitivamente, fala que se não fossem os amigos feitos durante toda a jornada, não teria valido a pena gastar tanto tempo com o jogo, deixando estudo e trabalho em segundo plano.

++++++++++

E, mais uma vez, com menos da metade das condições de preparação dos gringos, um brasileiro vai lá e faz bonito. E não é exclusividade do cyber-esporte. A distância de realidades é absurda mesmo no Tiro ao Prato, esporte olímpico que conta até com generosas bolsas e patrocínios por aí – eu sei porque já vi de perto. A prata do Gregório foi a única medalha brasileira, e, apesar de a maioria dos brasileiros ter passado da primeira fase, ficamos num modesto décimo lugar no quadro geral de medalhas.

Já no Pan Americano no México, ficamos em primeiro, com 6 ouros, 1 prata e 1 bronze. Nenhuma surpresa, eu diria. O que não quer dizer que foi ruim.

 

 

One Response to WCG 2006 – CABOU FAZ TEMPO

  1. Fabio Bracht says:

    Quem disse que tiro ao prato não é popular? Já teve até jogo no NES, com direito a pistolinha Zapper e tudo mais…

    …ah, não. Aquele era tiro Pato. Tá certo………

    Mas, ó, cyberesporte é coisa pra quem gosta. Que nem futebol.🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: