> marcando o ritmo com os pés

VEGETAL

.

O bar era vegan. Ou seja: não tinha cerveja nem de vaca, nem de porco, graças às piadas sempre oportunas do Vernas. Mas também não tinha cerveja gelada e, logo depois, nem cerveja tinha mais. A caipirinha era OK. Já os suflês de escarola e folhados de almeirão, não fiquei pra ver.

freeko_milhouse

freeko_cuecas

Teve (CUIDADO: links do MySpace a seguir) Milhouse, Liga das Senhoras Católicas e um revival curto de Cuecas Rosas. “Teve bão”, diria o outro. Depois acabou tudo num lugar em que era proibido confraternizar sem prévio acordo. Nunca fomos tão fora-da-lei sem precisar usar armas.

freeko_proibidovitrine

E, claro, com um cartaz desses não tinha como dar errado. Mais tarde a gente fala de futebol, então. Tu, tu, e o telefone ocupado.

4 Responses to > marcando o ritmo com os pés

  1. marco says:

    mas q porra!
    se soubesse q era “proibido a confraternização” teria ficado no pico.

  2. Esquecer de falar que voltou à pé.
    Pô, e depois quero ver os vídeos artísticos.

  3. Renato says:

    Você não é o culpado, mas eu não fiquei pra ver.

  4. Vernardo says:

    no vitrine só rola treta.
    os emos são conhecidos por sua tendência às tretas…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: